Costa Gold

Costa Gold

Transtorno Mental (part. Ogi)

Álbum: #Costa Gold - Mais Tocadas 6 Plays

Transtorno Mental (part. Ogi) Letra

(Pedrella)
E a humanidade que me fez ser o meu próprio demônio, insônia
E acorrentado no que a minha mente pensa
Cidade selva e eu vou vendo as favelas, condomínios, sempre na certeza
Que cadencia de caboclo não te faz ileso
E a mãe orando pro Espírito Santo já o filho e o pai tão preso
Quando sua mente é seu próprio refém
O problema não e droga ou o fato de não ganhar bem
Nego, tenho segredos, no rap não sou secreto
Um mago escreve seus pecados e deixa em livro aberto
E esse livro é um chip do seu cérebro
Então sabe, os que tão agindo errado sempre souberam o que é certo
Talvez eu largue desse copo e dessa lata nessa noite pra fazer composição
Talvez eu seja Costa Gold pelo fato de que eu sempre dividi
O que era meu priorizando uma união, jão
Eu vejo uns pagando de drão, tão
Ladrão que e ladrão ta ligeirão, passo
Colírio de água benta pra zoião
Se arrependimento matasse, eu taria vivão
E se carácter matasse, morreria toda nação

(Adonai)
Encontrei o parafuso a menos que me faltava
Jazigo de um atormentado que a mim mesmo, me matava
Um zumbi, que nem mesmo sabia onde estava
Só exercia uma função quando suas manga arregaçava, e
Quanto se coçava pra entender as neurose
Inexplicáveis canções começo a cantarolar
Por mais que explique-se ou prose
Já fez com que multiplicasse a dose de ignorância
Grana e arrogância não soube balancear, lance a
Sua ideia sempre pra frente
Destrave essa ânsia, livre-se de ganância e depois pergunte a si mesmo como se sente
Pois eu me sinto tão bem
Mal-humorado, atormentado, motivado pra esquecer
Tudo que não deixa zen, tenho me esquivado deste lado pra ver a família crescer
Mais do que duvidar de alguém, desacreditado nesse corre não consegue entender
Que o verdadeiro valor, de alguém
Sabendo pelo que se corre a mente sem peso, repousa

(Nog)
Eu acredito que o homem é o lobo do homem
E eu do risada só enquanto você sangra
Acordo aflito enquanto isso os anjos dormem
E os demônios rindo dançam a ciranda ai
Tem voz que me fala, ai Nog, se acalma
Se o problema já acaba, essa vida é sem graça
É honesta e trapaça, tem traira que é parça
É real e ela é falsa e pede muita fumaça, e eu vou
Gastar mais saliva do que adolescente em blunt
Meu flow, tá mais suave que o toque de um elefante
Eu sou, muito tranquilo igual freira perto de punk
Eu tô, andando na rua com um revolver na minha nuca
Querendo virar martir, ser escutado até em Marte
Mais perto do Sabotage e mais longe do Ricky Martin
Sem virar fraude, zuado que nem o milhouse porquê
Eu dependo do rap que nem o crack do pipe, é zika ai
Tenta lidar com a ira, eu vou na briza até a esquina tentando vender CD
Se a vida complica, música simplifica, no dia a dia ouvindo o som do Haikaiss com Qualy

São passos e passos na rua, segue a conduta, e a mente caminha sem direção
Traços e rastros de fuga, durante a madruga, a pele muda, a mente e o olho não

(Ogi)
Chamaram até o síndico, puro pânico
Nem a medicina deu o veredicto clínico
O kick, mais o choque, logo após o clique
Me disseram que eu tava freak do psiquico
Fantasmas que vem, lá do além, vagam na imensidão
Querem me fazer refém? Não
Me chame Edgar Alan flow, mestre do terror lhe causando estorvo
Mato assombração e o anjo pagão quando acerto um tiro em cheio em um corvo
Hoje vou por ai, me livrei do mal
Costa Gold, Ogi, tchau