Publicidade
MHRAP

MHRAP

Rap do Zack (Isaac Foster) - Satsuriku No Tenshi

Álbum: #MHRAP - Mais Tocadas 5 Plays

Rap do Zack (Isaac Foster) - Satsuriku No Tenshi Letra

Olhe bem pra mim, e diga o que vê
Um monstro que mata por puro prazer
Ouça minha gargalhada, enquanto se cala
E torça pra que eu não encontre você

O capuz reveste um ser tão vazio
A faixa cobre a face acima de um olhar tão frio
A foice escorre o sangue e mais uma gota caiu
É o próprio retrato da morte, na forma mais vil

Mais uma presa, ousa caminhar em meu andar
Te darei 3 segundos para que possa escapar
Permita-me assistir o medo que percorre seu olhar!
Mais vale um pássaro na mão do que dois a sangrar

Sua felicidade é tudo que eu necessito
E se quer a morte basta apenas me dar um motivo
Seus olhos não tem vida, há algo de errado nisso
Eu juro que essa foice será seu último aviso

Essa face é tão morta e tão fria
Sua expressão tão vazia
Chore, corra e vê se viva
Se tiver amor a sua vida

Peço que não diga mentiras
Por que eu odeio que minta
Então seja útil pra mim e
Seja uma boa menina!

No passado humilhado, destratado me fizeram como escravo
Uma mera ferramenta!
Corpos já sem vida, cadáveres empilhados
Eu vivia a enterra-los, até uma noite sangrenta

Assisti a cena, de um assassino em série!
E descobri que pra ser livre devia fazer igual
Então enquanto eles dormiam, o mais belo sono da morte
Os cortei diversas vezes então cai na real

Eu sou um assassino, um psicopata!
Aquele que te mata sem ao menos ter razão
Que sente puro prazer em ver sua face assustada
Enquanto ainda te retalha até ver caindo no chão

Eu sinto excitação ao ver felicidade
Isso se torna combustível pra minha sede de matança
Tanta satisfação, que dentro de mim não cabe
Eu poderia até me auto mutilar de exuberância

Um tanto quanto louco, alucinado, mal e desequilibrado
Lunático, alucinado, perverso, cruel e sádico
Doente sim, eu sou precipitado!
Delinquente, sanguinário, insano, obsessivo, frio e perturbado!

Nunca diga, Isaac Foster, ou lembre do meu passado
Não queira ver meu lado humano sobre carregado
Eu sei que tudo aquilo poderia ter mudado!
Eu sei que poderia ter deixado isso de lado

Dormindo no carro, um velho cego só
Tentou ser bom e veio em direção pra me ajudar
Eu me senti pior, quando o tempo se passou
A noite fria chegou e eu não via ele voltar

Vendo a sirene, e uma multidão de gente
E um corpo caindo no chão, o velhote estava lá
Mantive meu sangue quente, mas sereno como sempre
A faca brilhando na mão, eu só pensei em me vingar

Ei, doutor, não faz essa cara
Senão o ar de morte se alastra
Meu túmulo chegou na hora errada
Minha morte não é necessária

Você jamais poderá toca-la
Sou aquele quem deve mata-la
Torture só que vê se me mata
Pecado é tudo que você fala

A Lua azul no céu
Chegou pra me iluminar
E a chuva cristalina
Cai sem tempo pra parar

Meus olhos não se cansam
De jorrar e de sangrar
Ele vive tentando me controlar!
E meus demônios correm pra tentar me dominar

Olhe bem pra mim, e diga o que vê
Um monstro que mata por puro prazer
Ouça minha gargalhada, enquanto se cala
E torça pra que eu não encontre você

O capuz reveste um ser tão vazio
A faixa cobre a face acima de um olhar tão frio
A foice escorre o sangue e mais uma gota caiu
É o próprio retrato da morte, na forma mais vil

Um tanto quanto louco, alucinado, mal e desequilibrado
Lunático, alucinado, perverso, cruel e sádico
Doente sim, eu sou precipitado!
Delinquente, sanguinário, insano, obsessivo, frio e perturbado!

Nunca diga, Isaac Foster, ou lembre do meu passado
Não queira ver meu lado humano sobre carregado
Eu sei que tudo aquilo poderia ter mudado!
Mas eu escolhi matar e assim me senti libertado